25/03/2016

"Se me amas, não chores"

É impossível não chorar quando estou sozinha. É impossível dizer que estou bem. Quem me conhece sabe o quanto o amava, acima de todas as discussões.
A vida é tão injusta. Partiste tão cedo. Imaginava-te a pegar nos teus netos, a dar-me ainda mais raspanetes, a cuidar de mim, a visitares-me e apoiares-me em cada decisão que tomasse.
Eras tão boa pessoa para os outros mas nunca soubeste cuidar de ti. Meu pai, meu querido pai. Preciso de ti, não acredito que partiste e deixaste-me sem o teu porto de abrigo. Sem a maior ancora na minha vida. Sinto-me desamparada, quero ouvir a tua voz, quero ouvir-te e não posso.
Vou guardar as tuas coisas com o maior carinho do mundo, vou chorar as vezes necessárias e vou lembrar-me sempre de ti. Vou recordar os nossos melhores momentos, desde ao momento que soubeste que eu ia ser uma menina quando nascesse, ao peluche que tenho desde criança que me ofereceste, os beijos, abraços e sorrisos.


"Cá da capelinha? cá da menina do seu pai que tanto a adorava? que ele sempre falava no trabalho. oh capelinha, o teu pai amava-te tanto".
E eu a ele.